Botao share

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

O GOVERNO DESMONTA PROJETOS ECONÔMICOS E SOCIAIS E VENDE VENTO PARA O POVO BRASILEIRO


 
Recentemente postei aqui um documento onde apresentava 67 das principais obras e programas exclusivamente federais implementados pelo Brasil afora durante os governos Lula e Dilma, além de várias outras inciativas que deixei de mencionar, inclusive a maioria dos projetos realizados em parceria com os governos estaduais. Esses projetos e ações em sua boa parte foram realizados, porém aqueles que faltam concluir não estão recebendo o repasse das contrapartidas federais, como é o caso das linhas de metrô em capitais e grandes cidades, os VLT´s (Veículos Leves sob Trilhos), além de vários outros que priorizam a ação social.
 
Outra boa parte dos projetos em andamento estão sendo tocados exclusivamente por conta dos governos estaduais. O governo golpista de Michel Temer, sob a batuta dos corruptos Padilha e Moreira Franco, alinhados à ação do ministro Meirelles, se incumbiram de blindar o presidente golpista e diariamente “vendem vento” para a sociedade sob a forma de projetos ilusórios.

 
O exemplo mais recente foi a ida do usurpador Temer juntamente com o ministro da Defesa, Raul Jungmann, ao Rio de Janeiro para lançar um tal “Plano de Segurança para o Rio”. Duas semanas após o lançamento bombástico, o próprio ministro da Defesa foi obrigado a declarar que as ações até agora tiveram um caráter meramente regular. Tudo indica que é a tal iniciativa é mais uma coisa do tipo “a montanha pariu um rato”, o que já se tornou comum ao governo golpista.

 
No que diz respeito à economia, até agora os grandes beneficiados foram o setor financeiro predador e os bancos privados, enquanto a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil apresentam resultados bastante negativos em relação às administrações Lula e Dilma. Restrição de crédito aos mais pobres e cortes de investimentos para a moradia popular são propostas deste governo que também promete entrar em um processo de terceirização dos serviços.
Os golpistas diziam que em pouco tempo resolveriam a questão do chamado déficit público, mas o tiro saiu pela culatra. A estimativa que era de 137 bilhões de reais, mesmo aumentando impostos como o da gasolina que provoca um aumento em cascata, especialmente para os produtos de primeira necessidade, já foi recalculada para 170 bilhões de reais. E por outro lado, os golpistas pretendem agora aprovar um projeto de isenção voltado para o Refis, aonde a grande maioria dos devedores é formada por deputados e senadores. Ou seja, a política fiscal se transformou numa verdadeira baderna, para não dizer um palavrão.
 
Além disto foram gasto bilhões de reais na liberação de emendas aos parlamentares, especialmente do chamado Centrão criado pelo meliante Eduardo Cunha, para votarem a favor do arquivamento da denúncia de crime de corrupção contra o presidente golpista, sem falar na quantidade de distribuição de cargos públicos.
 
Outra barbaridade que está em curso diz respeito à entrega de terras a empresários deputados e senadores, ou não, com pequenas exceções, para a exploração de riquezas naturais como ouro e cobre, o que provocará a expulsão de índios, quilombolas e ribeirinhos no estado do Pará.
 
É este o desgoverno que tomou conta do nosso País e com o qual quase 300 milhões almas humanas são obrigadas a conviver.
 
Mas não adianta nada ficarmos no mimimi, temos é que ir para o embate, antes que se consolide um terceiro golpe que seria a constituição de um governo parlamentarista sob o comando de notórios corruptos, ladrões e golpistas.

 
Quem viver verá!
 
Francisco Rocha da Silva, Rochinha

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Mesmo sob ataque, Lula lidera em todos os cenários para 2018


Pesquisa CUT/Vox Populi mostra que intenção de voto no ex-presidente estimulada está em 53%, mesmo após condenação arbitrária feita por Sérgio Moro
 04/08/2017 09h04 - atualizado às 11h33
Ricardo Stuckert/Instituto Lula
Ex-presidente Lula
Apesar de ter sido condenado arbitrariamente pelo Juiz Sérgio Moro, responsável pela Lava Jato, e de sofrer ataques diariamente por parte da mídia, a intenção de votos no ex-presidente Luiz Inácio Lulada Silva em 2018 continua a crescer. É o que aponta pesquisa CUT/Vox Populi divulgada nesta sexta-feira (4).
No voto espontâneo, Lula tem 42% dos votos, contra 8% de Jair Bolsonaro (PEN-RJ), 2% de Marina Silva (Rede-AC), 1% de Sérgio Moro, 1% de Ciro Gomes, 1% de Joaquim Barbosa, 1% de João Doria(PSDB-SP), 1% de Fernando Henrique Cardoso, 1% de Geraldo Alckmin (PSDB-SP) e 0% de Aécio Neves. Outros receberam 3% dos votos espontâneos. Ainda segundo a pesquisa, 16% disseram votar nulo/branco e não souberam responder, 25%. Em junho, o ex-presidente tinha 40% dos votos.
Para a presidenta nacional do PT, Gleisi Hoffmann, Lula “lidera todas as pesquisas porque foi o melhor presidente da história do Brasil”.
“Em seu governo, milhões de brasileiros saíram da miséria e passaram a ter maior acesso à educação, saúde e moradia. Lula acabou com a fome no Brasil, um problema crônico que envergonhava a nação. O povo brasileiro reconhece esses esforços e está cada dia mais convencido de que a única saída para essa crise é trazer Lula de volta à presidência em 2018”, disse.
O levantamento ainda mostra que o ex-presidente Lula lidera as intenções de voto para presidência da República no segundo turno nos quatro cenários pesquisados: contra Jair Bolsonaro ou João Doria, Lula alcança 53% das intenções de voto; se os candidatos forem Geraldo Alckmin ou Marina Silva, Lula bate ambos com 52% dos votos.
Nesses cenários imaginados pela pesquisa, Bolsonaro teria 17% dos votos. Já Alckmin, Doria e Marina alcançariam, no máximo, 15% do total de votos, cada um.
A nova pesquisa CUT-Vox Populi foi realizada entre os dias 29 e 31 de julho. O ex-presidente foi condenado por Sérgio Moro no dia 12 de julho.
No cenário em que a intenção de voto foi estimulada com Alckmin, o tucano atinge 6% das intenções de voto e Lula, 47%. Bolsonaro tem 13%, Marina, 7%, e Ciro, 3%.
Na estimulada com Doria, Lula tem 48% das intenções de voto, Bolsonaro manteve os 13%, Marina subiu para 8% e o prefeito de São Paulo empatou com Ciro Gomes, com 4%.

O melhor presidente do Brasil

Para 55% dos entrevistados, Lula é o melhor presidente que o Brasil já teve. O número passou de 49% para 55% entre junho e julho deste ano. O outro nome lembrado é o de Fernando Henrique Cardoso (PSDB-SP), com 15%.
Para Marcos Coimbra, diretor do Instituto Vox Populi, vários dados pesquisa podem explicar porque Moro não acabou com as intenções de voto positivas no ex-presidente.
“Um deles, muito importante, é que, para 42% dos entrevistados, Moro não provou a culpa de Lula no caso do tríplex do Guarujá. Para 32%, Moro provou e, outros, 27% não souberam ou não quiseram responder”.
Além disso, 58% dos brasileiros consideram Lula um bom administrador, 65% dizem que ele é trabalhador e 61% afirmam que a vida melhorou nos 12 anos de governos do PT.

Pessimismo e descrença com Temer

Vagner Freitas, presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), lembra dados da pesquisa como os de que, com Temer, a vida piorou para 61% dos entrevistados – em junho o percentual era de 52%.
Aumentou também o pessimismo e a descrença quanto a capacidade de Temer de controlar a inflação – em junho, 62% achavam que a inflação ia aumentar. Em julho, esse percentual pulou para 75%. Cresceu também o percentual dos que acham que vai aumentar o desemprego no Brasil – de 68% em junho para 72% em julho.
“O povo quer votar em quem tem compromisso com a classe trabalhadora tanto para voltar a ter uma vida melhor, quanto para reverter as medidas que Temer tomou para acabar com a CLT e a aposentadoria, entre tantas outras desgraças desta gestão golpista”, conclui Vagner.
A pesquisa CUT/Vox Populi, realizada nos dias 29 e 31 de julho, entrevistou 1999 pessoas com mais de 16 anos, em 118 municípios, em áreas urbanas e rurais de todos os estados e do Distrito Federal, em capitais, regiões metropolitanas e no interior. A margem de erro é de 2,2 %, estimada em um intervalo de confiança de 95%.