Botao share

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Na política: Aonde nós chegamos!

Enquanto o Ministério Público Federal não age com a mesma desenvoltura de quando se trata de petistas, pelo andar da carruagem, cujas rédeas estão nas mãos sujas de Eduardo Cunha, a cada dia temos mais motivos para lutar e resistir contra a tentativa de golpe contra a presidenta Dilma Rousseff e contra a democracia no Brasil.

Se Michel Temer é o chamado “capitão do golpe”, como já o apelidou o ex-ministro Ciro Gomes, e também correria o risco de ser “impitimado” devido à prática das mesmas pedaladas fiscais que acusam Dilma, então o país cairia fatalmente nas garras do ainda atual presidente da Câmara, uma das piores e mais hediondas figuras políticas da nossa história política recente.Comparações à parte, a lama da barragem de Mariana/MG invadiu a Câmara.

Cunha, além de tentar consolidar o impeachment contra a presidenta Dilma, através de manobras regimentais e do seu peculiar jogo sujo, faz uso do seu poder como presidente da Câmara para travar o andamento do seu processo de cassação no Conselho de Ética. Ele destituiu um relator eleito democraticamente por outro. E o relator destituído inclusive concedeu entrevista a um jornal dizendo que chegou a ser procurado com uma oferta de propina, além de ameaças e pressões.

Por isso, as militâncias dos partidos progressistas e dos movimentos organizados precisam tomar as ruas e gritar cada vez mais forte:

Não vai ter Golpe! Dilma Fica! Fora Cunha!


(Geraldo Magela / Rochinha)

Nenhum comentário:

Postar um comentário