Botao share

segunda-feira, 15 de junho de 2015

Documento final do 5º Congresso: Unidade, determinação e superação




A segunda etapa do 5º Congresso do PT, realizada no período de 11 a 13 de junho, em Salvador, Bahia, terminou com deliberações políticas importantes para a vida partidária, entre elas a manutenção do PED -  Processo de Eleição Direta.

Um Congresso no qual estavam aptos 794 delegados/as e foram credenciados 765, possivelmente um dos maiores percentuais de comparecimento em relação aos congressos anteriores. Além das definições internas debatidas no evento, o documento final deliberou sobre vários temas de importância política no tocante às questões nacionais em relação à conjuntura política e ao governo, entre elas o apoio, por uma expressiva maioria, em relação ao ajuste fiscal, mas fazendo ponderações sobre a implementação de políticas compensatórias às medidas econômicas.

Com relação ao PED ficou definido no Congresso que o Diretório Nacional terá um prazo de 90 dias para convocar um seminário político para debater e implementar uma reformulação, que consideramos necessária e urgente, no atual modelo de eleição dos nossos dirigentes municipais, estaduais e nacionais. O PED é uma inovação democrática colocada em prática pelo PT desde 2001, sendo, salvo engano, a única experiência do tipo dentre os partidos de esquerda de todo o planeta.

No que toca às questões das finanças do Partido ficou para o Diretório Nacional regulamentar as decisões sobre recursos privados e financiamento público das campanhas eleitorais, a partir do que for decidido no final da reforma política em andamento na Câmara dos Deputados. Um ponto importante foi o lançamento da plataforma para arrecadação financeira de pessoas físicas, sobretudo entre a militância, encaminhada pela Secretaria Nacional de Finanças e Planejamento do PT e aprovada pelo conjunto do partido.

Aproveito para saudar mais uma vez os delegados e delegadas, os dirigentes e militantes presentes pelo sucesso do nosso evento e também parabenizar o corpo de funcionários/as pela organização do encontro.

Não posso deixar de ressaltar que setores da grande mídia ficaram durante dias estimulando a discórdia entre nós para que esse fosse um congresso de desunião e que produzisse resoluções de rompimento com o governo federal e demais forças políticas. A velha mídia plantou a cinzânia entre o PT e o governo para colher tempestade no Congresso, e baixou em Salvador de mala e cuia na expectativa de colher tempestade, mas erraram feio e voltaram frustrados e de mãos vazias.

Viva o PT! Viva os petistas e viva a Bahia!

Nenhum comentário:

Postar um comentário