Botao share

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Encontro de Davos: A intolerância e a ganância podem levar a humanidade à barbárie

Terminada a famosa reunião da força do capital mundial em Davos, na Suiça, o que fica para nós é uma sensação de fracasso. 

O tal fórum financeiro mundial não deliberou nada de importante após dias de reuniões entre as maiores potências financeiras do mundo, e não obteve nenhum resultado concreto no que diz respeito às perspectivas para a melhoria das condições de vida dos mais de sete bilhões de seres humanos que habitam o planeta. 

Antes da reunião já havia sido divulgado um levantamento surpreendente sobre o avanço da concentração da riqueza sob o domínio de uma ínfima quantidade de ricaços. Vejam a discrepância: 72 milhões de magnatas concentram 99% das riquezas, enquanto que 7,2 bilhões de seres humanos conseguem mínimos recursos para a sua sobrevivência.

Os dados são alarmantes e na minha opinião era o momento deste encontro de Davos - com a presença de chefes de Estado e de representantes das grandes instituições financeiras do mundo inteiro - ter tirado uma resolução no caminho inverso do que vivemos no momento. Ou seja, promover a descentralização da riqueza em mãos de poucos para distribuir minimamente o necessário para este enorme contingente que habita nosso planeta.

A falta de sensibilidade dos afortunados do planeta Terra pode levar esta multidão ao absoluto desespero num momento de profunda crise. A ganância é a responsável em boa parte pelo desespero, o preconceito e a intolerância que se espalham pelo mundo atualmente. Enquanto assistimos inúmeros avanços em matéria de tecnologia, a grande maioria da população trabalhadora mundial ainda sobrevive nos moldes brutais dos séculos 18 e 19.

Quanto à globalização, que tantos alardearam que iria melhorar a situação dos seres humanos, pelo contrário, está transformando o mundo em um ambiente de caos. São latentes os exemplos do que aconteceu recentemente na França e na África, onde o terrorismo mata inocentes. Tudo isso é resultado do apartheid político, econômico e religioso que ocorre em várias partes do mundo, especialmente na Europa, no Oriente Médio e na África. 
Lembrando também que hoje mais de 13 milhões de imigrantes procuram um lugar para sobreviver no mundo.

Ou os detentores das grandes fortunas tomam consciência de que o mundo caminha a passos largos para um violento confronto entre ricos e pobres, ou todos nós pagaremos um alto preço, possivelmente a médio e longo prazo.

Ainda espero uma profunda reflexão dos afortunados para uma urgente e necessária mudança de postura mundial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário