Botao share

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Petistas a onda vermelha em ação

A desconstrução


As críticas da campanha da presidente Dilma, nos comerciais de TV, estão colando em Aécio Neves. As pesquisas qualitativas revelam, segundo analistas políticos, que os ataques fizeram a rejeição de Aécio ficar maior que a de Dilma. Por isso, os tucanos querem paralisar essa ofensiva e estão requerendo ao TSE que tire o adversário do ar ou lhes dê direito de resposta.

Briga de galos
A campanha tucana diz que em pesquisas qualitativas o público reagiu mal aos ataques entre os candidatos no debate do SBT. Mas nos estúdios da TV, auxiliares e apoiadores reagiram exultantes aos ataques desferidos por Aécio Neves contra a presidente Dilma. Os políticos pedem bis. Profissionais do marketing avaliam que o embate foi ruim para os dois. Mas fazem uma ressalva: “Quem já tinha imagem ruim era o PT”. Esse tem sido o mote da campanha tucana, associar Dilma aos malfeitos do seu partido. Mas, como o tucano se apresenta como o bom-moço, há uma avaliação na praça de que “pancadaria desse tipo faz mais mal a ele do que a ela”.

“O país está rachado. A eleição vai ser ganha na sintonia fina. Estamos com as barbas de molho. Nos estados ocorreram mudanças na última hora”.

Marcus Pestana
Presidente do PSDB-MG e deputado federal

A reviravolta

O marketing da campanha tucana virou desde o debate no SBT. Aécio Neves vai abandonar temas do chamado “campo dela” (a presidente Dilma), como Bolsa Família; Minha Casa, Minha Vida; e geração de empregos. O centro do seu discurso agora será: corrupção; mudar o que vai mal, como a economia e os serviços; e se apresentar como o mais preparado para governar o país
  
Na corda bamba
Os petistas de São Paulo estão possessos porque a ministra Marta Suplicy (Cultura) não está fazendo campanha para a presidente Dilma no estado. Perguntam: “Ela é ministra de quem?”. Marta Suplicy já está no sal com Dilma, que não engole o fato de ela ter defendido o “Volta, Lula”, quando o coro de petistas pelo ex-presidente engrossou.

Aguardando o pleito
Está paralisada no Palácio do Planalto, desde março, a contratação de empresa para prestar serviço de assessoria de comunicação internacional. O valor do contrato é de R$ 30,6 milhões, e três empresas estão habilitadas.

Levantar da cadeira

A governadora Roseana Sarney planeja deixar o governo do Maranhão antes da posse do sucessor, Flávio Dino (PCdoB). Caberá ao presidente da Assembleia, Arnaldo Melo (PMDB), assumir o governo nos últimos dias e empossar Dino.

Reforma política
O Diap fez as contas, e, se estivesse em vigor a cláusula de desempenho de 5% dos votos nacionais para a Câmara, apenas sete partidos sobreviveriam: PT, PMDB, PSDB, PSD, PP, PR e PSB. Sucumbiriam as outras 19 legendas.

Escanteado
Na primeira reunião que a presidente Dilma fez com os partidos coligados, decidiu-se que Marcos Pereira (PRB) seria o responsável pelos votos evangélicos, sob a coordenação da campanha central. Ele aguarda um telefonema até hoje.


Paulo Guimarães, do Instituto GPP, virou o principal conselheiro de Aécio Neves, desde que, remando contra a maré, previu que ele superaria Marina Silva.

Fonte: http://oglobo.globo.com/blogs/ilimar/

Nenhum comentário:

Postar um comentário