Botao share

terça-feira, 7 de outubro de 2014

ELEIÇÕES 2014 – SEGUNDO TURNO




ALERTA: PETISTAS SE PINTEM PARA A GUERRA!

Leiam e divulguem!



Começo citando o preconceito do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso contra pobres e negros em eleições passadas e agora contra os nordestinos porque votaram na Dilma. Não é de se estranhar, já que FHC já chegou a taxar os trabalhadores aposentados de “vagabundos” e a reduzir a questão racial a um pé na senzala e outro no fogão da casa grande.

Estamos começando a entrar na disputa da campanha presidencial do segundo turno. Esta é a primeira análise e é lógico que ainda incompleta por conta do exíguo tempo entre o término do primeiro e o início do segundo turno, mas temos a compreensão de que vamos assistir mais uma vez a apresentação de dois projetos totalmente diferenciados.

O projeto do PT, centrado numa visão de esquerda com caráter social que prioriza a distribuição de renda e trabalho, além da visão de governar para os brasileiros pobres e ricos. E o outro projeto, do PSDB, que continua com a mesma característica do que foi o governo conservador, neoliberal e privatista de FHC, com concentração de renda, arrocho salarial, desemprego, inflação alta e que governou para menos de 25% da população brasileira.

Eis aí o começo da diferença entre a gestão de 12 anos dos governos Lula e Dilma e os oito anos da gestão tucana de Fernando Henrique Cardoso. Recebemos um dos piores legados da história contemporânea do Brasil. O país pouco conhecido e respeitado na esfera mundial era visto exclusivamente pela questão do “futebol” e do carnaval. A partir de 2003, sob o comando do nosso líder, o ex-presidente Lula, abrimos as fronteiras do Brasil para o resto do mundo, seja do ponto de vista das exportações de vários derivados de produtos ou do reconhecimento dos direitos fundamentais dos povos.

Internamente mudamos radicalmente os índices sociais e econômicos que perduravam por muito tempo e tiramos mais de 40 milhões de brasileiros da condição de indigentes e os levamos para a condição de cidadãos, que muitos denominam de classe C.

Hoje, os adversários e a mídia venal tentam se apegar única e exclusivamente aos avanços do Bolsa Família. Não temos e nem teremos vergonha de incorporar mais parcelas de miseráveis ao Bolsa Família. Mas também atuamos para fazer com que aqueles que se elevaram à condição de cidadãos possam sair do Bolsa Família e andar com suas próprias pernas conquistando trabalho e renda própria.

Não adianta acharem que os avanços sociais e econômicos destes 12 anos de governos petistas se deram somente na área social. Exploram a questão do baixo crescimento. É ótimo ter um alto crescimento, mas em outros momentos do Brasil com alto crescimento a miséria esteve sempre presente.

Os governos Lula e Dilma no campo da educação promoveram uma verdadeira revolução em relação ao que nós encontramos no passado. Foi realizado neste período um forte Intercâmbio entre o governo federal e os municípios, através da contratação de seis mil creches, sendo construídas em média três mil delas. Isso levou a uma situação aonde a grande maioria das crianças na faixa de três a oito anos definitivamente tivessem acesso à educação infantil. Lembrando que este é um projeto ligado diretamente às condicionantes para o acesso das famílias ao Bolsa Família.

Do ponto de vista do ensino médio foram implementadas escolas profissionalizantes em todos os recantos do país. E essas escolas profissionalizantes e de ensino médio estão ligadas a iniciativas de caráter esportivo e cultural.

Com relação ao ensino superior, os avanços foram extraordinários. Da gestão de FHC nós recebemos zero de construção de novas universidades ou de expansão universitária.
Nos governos Lula e Dilma foram criadas 18 novas universidades federais e 173 novos campi em todo o país, além de terem sido duplicadas as matrículas no ensino superior. Além disso, os brasileiros mais pobres tiveram a oportunidade de cursar uma universidade através do ProUni (Programa Universidade para Todos), das cotas sociais e raciais e da ampliação do FIES, tanto nas universidades públicas como através de bolsas de estudos nos estabelecimentos privados.

Os brasileiros tiveram um fantástico acesso ao programa chamado Luz para Todos. Várias regiões do Brasil que nunca tinha visto a claridade de um bico de luz conseguiram instalar energia nas suas casas. O Luz para Todos, em dez anos, beneficiou 14,4 milhões de pessoas nas áreas rurais do país, principalmente os nordestinos que agora tem acesso à energia elétrica para montar casas de farinha, instalar poços para puxar água para a sua sobrevivência e adquirir uma geladeira, uma TV, etc, para melhorar a sua qualidade de vida.

Brasileiros que sempre almejaram o grande sonho de possuir uma moradia foram beneficiados com o programa Minha Casa Minha Vida que beneficiou cerca de seis milhões de pessoas em todo o Brasil, incluindo um programa que deu acesso para comprarem bens duráveis. É importante ressaltar a ampliação e o acesso ao crédito imobiliário e o papel da mulher como a responsável pela aquisição da moradia popular.

O avanço no que toca à questão da chamada agroindústria, onde se destaca a crescente elevação das safras agrícolas, foi extraordinário, sem falar na disponibilidade de crédito para todo este setor, especialmente para os pequenos e médios agricultores que atuam na agricultura familiar.

Este é só o começo para que a gente possa abrir um debate franco e direto entre um programa de caráter social e distribuitivo e o outro, que é um programa retrógado, privatizante e voltado exclusivamente para os interesses do setor financeiro especulativo e que visa beneficiar  menos de 25% da população brasileira.

Petistas, eis aí os primeiros pontos de diferenciação que nós temos que enfrentar sem medo. Lógico que como eles não tem o que apresentar nesta área vão se voltar para o tema da chamada “ética política”. Neste ponto, não devemos baixar a guarda até porque quem começou com a compra de votos para a reeleição de FHC tendo à frente o ex-ministro Sérgio Mota (conforme notícias na emprensa da época); criou o mensalão do PSDB em Minas Gerais para beneficiar sobretudo o presidente nacional do partido naquela época, Eduardo Azeredo ,ex-governador e ex-senador que renunciou para não ser preso, seguido de Clésio Andrade que fazia parte do mesmo grupo; Pimenta da Veiga que foi indiciado pela Polícia Federal por lavagem de dinheiro, não esquecendo da famosa lista de Furnas até agora não investigada, NÃO TEM A MENOR MORAL PARA FALAR DE ÉTICA POLÍTICA. Isso para não falar na corrupção em trens e metrô de São Paulo e no vergonhoso racionamento de água no estado.

O candidato a presidente Aécio Neves, quando governador de Minas Gerais, desviou dos cofres públicos a bagatela de 16 milhões de reais para construir um aeroporto na fazenda da família Neves na cidade mineira de Claúdio e depois de pronto entregou as chaves para proteção do aeroporto nas mãos do seu tio, palavras ditas por uma candidata a presidente no primeiro turno.

Estes sim são os grandes responsáveis e protagonistas da chamada “velha política”, que agora tentam barganhar o apoio da candidata Marina Silva que durante todo este tempo pregou a chamada “nova política”. Não gostaria de ver, mas se ver não vou estranhar, o chamado abraço de tamanduá entre eles.

PETISTAS, A DISPUTA PODE SER DURA, MAS NÓS VENCEREMOS!

Nenhum comentário:

Postar um comentário