Botao share

sexta-feira, 25 de julho de 2014

BANCO SANTANDER: Jabuti(tartaruga) não sobe em árvore

Não é surpreendente, mas é revoltante, a matéria divulgada hoje no portal UOL em relação a análise política eleitoral feita por analistas do banco Santander avisando aos endinheirados que o sucesso da presidente Dilma na campanha eleitoral é um retrocesso para a economia (um mundo financeiro predador).

Na verdade, o Banco Santander para atemorizar o país no curso da campanha eleitoral, irresponsavelmente, se utiliza de um expediente chamado "carta aos ricos", para tentar sair pela tangente de que não está influindo no campo político e na campanha eleitoral. Nunca na história deste país, observamos que nesses 12 anos, todos os brasileiros, com raras excessões, melhoraram a sua condição financeira, e os Bancos, especialmente os Santander e Itaú, foram os que mais se beneficiaram pela expansão do crédito e da melhora na condição de vida dos mais pobres. Mas, disfarçada e descaradamente a instituição manda a carta para "os ricos". Pergunto: onde está a autoridade do Banco Central para dar a devida punição a esses bancos que levianamente estão entrando numa ceara que não é e nem deve ser a suas?

Cabe as instituições financeiras se ater ao seu campo de atuação já que vivem exclusivamente do giro do dinheiro dos pobres, enquanto que os ricos vivem iguais a eles (bancos), exclusivamente da usura do dinheiro.

Tal atitude me faz lembrar a teoria do empresário e ex-presidente da FIESP (Federação das Industrias do Estado de São Paulo) Mário Amato, que na eleição 1989 para apoiar Fernando Color e aterrorizar a população, espalhava boatos de que, se o Lula vencesse as eleições mais de oitocentos mil empresários deixariam o Brasil. Ganhou Fernando Color. E deu no que deu. Vieram os planos econômicos e perderam o Brasil, os bancos e o povo. Foi um fracasso!  Não custa rebobinar a fita do passado para sabermos quem está a favor do Brasil e do povo brasileiro a tantos anos depois. RECORDAR É VIVER.



Nenhum comentário:

Postar um comentário