Botao share

sexta-feira, 16 de maio de 2014

A Copa vem, a copa vai e os movimentos sociais permanecem.


Faltando poucos dias para o início da Copa do Mundo no Brasil, multiplicam-se as opiniões a favor e contra a Copa. Aguçam-se os interesses de caráter reivindicatórios de várias categorias, aproveitando legitimamente a realização deste grande evento. Ao largo disso, surge também o oportunismo daqueles que querem se aproveitar da ação dos movimentos de massa para praticar atos de vandalismo e violência. Os movimentos reivindicatórios no meio operário e social surgiram muito antes da Copa do Mundo. O Brasil que é visto como um país da paixão pelo futebol, com certeza irá realizar um dos maiores eventos da historia do mundo e os corações e mentes dos brasileiros com certeza baterão mais fortes.

 

Numa democracia devemos apoiar a legitimidade das reivindicações dos diversos setores da sociedade, uma vez que só no Estado Democrático, esse direito é garantido pelo próprio Estado à sociedade.

 

Sabemos que o momento requer negociação por parte do Estado, das forças que garantam o poder de Estado, procurando separar o joio do trigo.

 

As manifestações de ontem, realizadas em varias cidades pelo Brasil afora, com raras exceções, deu espaço para aqueles que tentam pela força e pela violência, destruir o grande legado construído a duras penas no Brasil que é a democracia, a liberdade e o Estado de Direito.

 

Devemos como cidadãos ficar atentos aos acontecimentos que por ventura virão até o final dos jogos da Copa do Mundo. Neste momento, o mundo inteiro coloca seus olhares ao que virá acontecer no país durante os festejos do mundial.

 

Uma coisa é o direito que cada um tem de criticar gastos na construção das arenas, outra coisa é ter uma posição antipatriota de torcer pelo pior e, como brasileiros, falarem mal de seu próprio país.

 

Acompanhando de perto os acontecimentos percebemos que existe um plano arquitetado e que em alguns momentos parece perpassar os interesses maiores do Brasil e ter conotação de interferência e interesses estrangeiros visando o futuro do país.

 

Os movimentos ocorridos pelas centrais sindicais, sindicatos de categorias e de organização social, tem pauta e tem rumo. Enquanto isso, alguns maus brasileiros se infiltram sorrateiramente nos movimentos de massa para descaracterizar os objetivos dos próprios movimentos. Como sempre, setores dos meios de comunicação disfarçadamente insuflam as massas para que as manifestações que começam de maneira pacifica, terminem em verdadeiros tumultos. Poucos, mas mal intencionados com a ajuda de setores da mídia, passam para o resto do mundo a ideia de um Brasil a beira de uma guerra civil.

 

Lamentavelmente esta é a verdade nua e crua!

 

No fundo, a intenção é enfraquecer e desmoralizar um governo eleito democraticamente pelo voto direto do brasileiro.

 

Que venha a Copa, que continuem as Copas e que permaneçam os movimentos democráticos e de massas.

 

No futuro, em momento oportuno, faremos nossas avaliações talvez com mais sensatez e veremos que a Copa se foi, mas ficou um legado permanente que vai engrandecer o Brasil e beneficiar o povo brasileiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário