Botao share

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

O Brasil que cresce, inclusive na economia, e uma mídia que torce pelo retrocesso

Ao iniciar o ano de 2014 começam a serem divulgados os resultados oficiais nas áreas econômica, social e política do governo democrático e popular Lula e Dilma que já governa o País por 11 anos.

Especialmente nos últimos três anos reforçou-se no Brasil uma corrente ligada aos meios de comunicação, setores financeiros e à elite que aposta diariamente no fracasso de um governo democraticamente eleito pela grande maioria do povo brasileiro.

Primeiro não somente apostaram como criaram pânico em torno da disparada da inflação num momento aonde todos sabiam que oficialmente o centro da meta inflacionária varia de 4,5% a 6,5%, cujo índice nunca nestes últimos anos ultrapassou esse centro da meta, enquanto escondiam que o governo Fernando Henrique Cardoso nos deixou uma das heranças malditas - a inflacionária - mais de duas vezes maior do que o índice atual. E neste ponto foram quebrando a cara...

Do ponto de vista do crescimento das vendas em geral, todos os índices oficiais (IBGE, FGV, IPEA, Banco Central, etc) mostraram resultados econômicos bem melhores em 2013 quando comparados aos resultados oficiais do ano de 2012. Exemplo: divulgação recente sobre a venda do comércio varejista mostrou um crescimento em 2013 de quase 4,5%, índice maior do que o ano anterior, mas as manchetes passavam a versão de que tinha sido um crescimento menor. Coisas de ordens de chefes de redação nas áreas da comunicação em geral repassadas aos seus subordinados para comunicar uma versão negativa dos fatos.

No tocante à indústria, apesar de todas as suas dificuldades de crescimento não houve nenhuma derrocada do ponto de vista de lucros e nem no aumento de falências. Os demonstrativos divulgados por vários setores da economia financeira, comércio e outras, inclusive a de comunicações, todas apontam lucros altamente relevantes.

Hoje saiu pelo Banco Central a prévia do PIB (Produto Interno Bruto) do ano de 2013. Surpresa, para os outros, não para mim: 2,57%, As apostas e a divulgação do pânico são de que o PIB de 2013 não passará de 1,5%. Neste ponto, calma, vamos esperar. A prova concreta é de que até o momento os torcedores do caos e pela derrocada do governo, especialmente na área econômica, vão sendo aos poucos derrotados.

Dados positivos, como o índice relativo à taxa de emprego, crescimento dos salários e a clara melhoria das condições de vida dos antigos deserdados são pontos preventivamente escondidos, ou divulgados de forma disfarçada, como sempre, com o acréscimo de um "mas" para formar uma opinião um tanto negativa. Exemplo: eles dão uma notícia positiva, mas  acrescentam o viés de um "mas" negativo sobre qualquer outro assunto correlato para diluir a notícia.

Vamos em frente, pois temos consciência de que a torcida contra é minoria, mas ela, a "oposição", tem o apoio dos grandes meios de comunicação. Além de enfrentar a força da mídia teremos que na política dialogar diretamente - ou pelos meios disponíveis nas redes sociais - usando um linguajar compreensível para que a população entenda e absorva os feitos positivos nos 11 anos deste governo que, na minha leitura, promoveu uma verdadeira revolução social no Brasil, sobretudo a favor dos que há séculos foram excluídos.

Este é um governo que governa para todos os brasileiros, diferente dos governos tucanos que governam para, no máximo, 30% da população do País.

Nenhum comentário:

Postar um comentário