Botao share

quinta-feira, 20 de junho de 2013

O PIG e a velha mídia se recusam a olhar para o próprio rabo

No momento em que o movimento social se mobiliza por reinvindicações justas em benefício dos mais necessitados, começam a aparecer aqueles que, como sempre, tentam se aproveitar e pegar carona nas reinvindicações dos movimentos de massas.


Aqui quero me referir especialmente ao chamados meios de comunicação que na sua trajetória de muitos anos sempre defenderam os interesses da elite brasileira.
Observo nos últimos dias que âncoras, comentaristas e colunistas dos meios de comunicação falada, escrita e televisada esforçam-se para tentar manobrar o movimento e tentar criar pautas e palavras de ordem que atendem ao seu próprio interesse.
O PIG e a velha mídia sempre foram os verdadeiros porta-vozes de interesses contrários à toda e qualquer reinvindicação da maioria do povo brasileiro.
Recordo-me das chamadas palavras de ordem ditas e repetidas pelo PIG e outros jornalões fazendo coro à propaganda da ditadura militar. O chamado “Brasil para frente” ou o “ame ou deixe”.
Foram por muito tempo os grandes beneficiários da força da repressão da ditadura militar no Brasil e nunca fizeram a mínima denúncia sobre tortura, desaparecimento e mortes. Pelo contrário, elogiavam a ação dos militares que, segundo eles, teriam evitado que o Brasil fosse dominado pelos comunistas. Defenderam e até elogiaram a edição do ato institucional nº 5 e a deportação arbitrária de vários jovens brasileiros expulsos do país pelos militares.
Continuando o curso da história foram contra o movimento dos jovens cara pintada quando sairam às ruas para reinvindicar as eleições diretas, a redemocratização do país e outras bandeiras democráticas, mas quando perceberam que estavam sendo engolidos pelo movimento usaram da mesma manobra e começaram a tramar a chamada eleição indireta de cunho conservador e tentaram mudar os rumos do movimento.
Diga-se de passagem que figuras que, naquela época, por qualquer razão, tinham a simpatia do PIG e da velha mídia eram tratados como verdadeiros heróis e democratas. Uma boa parte deles, hoje são alijados por esta mesma mídia, única e exclusivamente por terem mudado de posição.
Seguindo adiante, é sempre bom lembrar que estes mesmos meios de comunicação tiveram posição contrária para derrotar a chamada emenda Dante de Oliveira, que se aprovada reestabeleceria eleições diretas no pais.
Com o reestabelecimento das eleições diretas, o PIG mais uma vez colocou-se a favor das elites e tentou fraudar a vitória de Leonel Brizola nas eleições para governador do Rio de Janeiro. No pleito de 1989, o PIG tenta novamente manipular as massas com a “caça aos marajás”. Pósicionando-se contra o avanço das forças progressistas e democráticas frauda de forma criminosa o último debate eleitoral da campanha presidencial, violando os preceitos legais da lei eleitoral e reproduzindo a fraude em horário posterior à determinação da justiça eleitoral, levando de forma criminosa o debate para exibição no Jornal Nacional.
Lógico que eu poderia citar inúmeros outros fatos mais recentes, como a bandeira do “Cansei”. Mas vou deixar para uma próxima oportunidade. Pretendo com este texto situar a atual geração de jovens sobre um comportamento corriqueiro do PIG, utilizado há mais de 30 anos. Vamos aos fatos do dia: é possível que o PIG ache que nós, seres vivos, não acompanhamos e não sabemos da rejeição que o atual movimento têm em relação ao próprio PIG. Vocês não têm uma imagem de cobertura do movimento que tenha sido fotografada por terra. Tiveram que acompanhar o movimento pelas alturas, porque foram totalmente rejeitados no momento que se aproximavam da mobilização de rua, diga-se de passagem que os jornalistas não têm culpa, mas foram expulsos pelo movimento por simbolizar a imagem desgastada e deturpada de vocês. Isto serve também para algumas coberturas, ou algumas tentativas de cobertura feitas pelos tradicionais jornalões.
Alguns comentaristas, ou pelo menos um, teve que vir a público pedir desculpas pelas suas análises irresponsáveis, dizendo que errou, mesmo se considerando um jornalista coroa, de direita e facista (palavras dele). Leiam também a matéria do Jabor, no Estadão de terça-feira (18/06). Este mesmo jornal pediu às forças policiais que descessem a borracha nos manifestantes, o que de certa forma foi atendido.
Outro jornalão de grande circulação, que têm uma postura de camaleão “bicho que fica em cima do muro” faz analises como uma verdadeira biruta de aeroporto, um dia com uma posição, outro dia outra, conforme os seus interesses. A prova disso, é retratada no dia de hoje, no texto publicado por uma de suas colunistas que reproduz noticias anteriores sobre o chamado movimento “Cansei”. Esta colunista não me surpreende, porque ela só não diz, mas seu comportamento mostra de que lado ela está. Inclusive, dizem, que é uma “vivandeira de quartéis”.
A aparente novidade, que surge hoje, é que os militantes do PT engrossaram as manifestações de hoje, ledo engano.
Desde o começo, tivemos muitos militantes petistas no movimento, sem precisar vestir camisas vermelhas ou levantar bandeiras partidárias, até porque nunca saímos da rua e nela como militantes de esquerda iremos permanecer sempre. Doa a quem doer.
Francisco Rocha da Silva Rochinha é dirigente nacional do PT
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário