Botao share

quarta-feira, 20 de março de 2013

Confiantes, petistas rompem o silêncio

Leiam e divulguem a entrevista que dei para o jornal Diário de Pernambuco.


Confiantespetistas rompem o silêncio



A pesquisa que aponta a alta popularidade do governo Dilma Rousseff (PT) no Nordeste quebrou o silêncio dos petistas que vinham observando, ressabiados, o aumento das críticas feitas pelo governador Eduardo Campos (PSB) à gestão petista desde o fim de semana. Eles ainda não chegaram ao consenso sobre a importância da permanência de Eduardo na base aliada, mas lamentam o tom das críticas adotadas pelo governador nos últimos dias. Coordenador nacional da maior corrente petista, a Construindo um Novo Brasil, Francisco Rocha acha que “os incomodados” é que devem sair. Já o secretário de organização nacional do PT, Paulo Frateschi, espera uma autocrítica de Eduardo e o dia do “fico”.

Os dois caciques petistas, que são amigos de Lula, falaram com o Diário por telefone, de São Paulo. O gesto aconteceu um dia depois de o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, pedir mais prudência dos aliados nas críticas ao governo, e o presidente nacional do PT, Rui Falcão, afirmar que Eduardo não é consenso nem mesmo dentro do PSB. “Eduardo Campos tem parte de seu partido disposta a reeleger Dilma”, afirmou Falcão.

Inquieto com o silêncio dos petistas pernambucanos e com a ausência de um movimento de repactuação do partido no estado, Rochinha desabafou. “Pernambuco é um dos estados mais politizados do país, e a população sabe que os avanços do estado tiveram uma contribuição incrível de Lula e de Dilma”, declarou. Rochinha ainda comemorou os resultados da pesquisa da CNI, falando pausadamente sobre os “79% de popularidade de Dilma”, e acrescentou que Eduardo, agora, está adotando um discurso muito parecido com o do senador Jarbas Vasconcelos (PMDB). “Eles foram adversários a vida inteira, é só rebobinar a fita…”, declarou. “Então, os incomodados, você sabe, para um bom entendedor, meias palavras bastam”, acrescentou, sem completar a frase.

Frateschi disse ter ficado chocado ao ler, em um jornal de São Paulo, que governador teria soltado uma risada, em entrevista, ao saber das críticas do empresário Jorge Gerdau a Dilma. “Eduardo está todo dia inventando uma nova, virou o xodozinho de parte da imprensa porque está metendo o pau. Mas ele está perdendo a mão nas críticas e vai ter que pesar. Lula sempre fala que é bom construir eleitoralmente, mas ele sempre diz que ninguém pode entrar numa eleição para sair menor. E o PT quer Eduardo conosco”, declarou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário