Botao share

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

RESULTADOS ELEITORAIS, O PAPEL DO PT E O RESGATE DA VERDADE




Este artigo é uma avaliação preliminar, a mais aprofundada virá daqui há poucos dias. Sua razão é porque me senti na obrigação de dialogar com petistas, não petistas e, até onde eu conheço, dar minha opinião e esclarecimentos.

Primeiro, avalio como bastante positivo o processo político eleitoral como um todo, em especial porque é no município onde as pessoas vivem o seu dia a dia. Portanto, é através do poder municipalista local que de fato acontece um processo que, por si só, reforça a democracia representativa.

É lógico que até onde eu acompanho, as avaliações sempre partem de uma análise de conjuntura da política geral, o que é bastante compreensível, especialmente para o mundo da comunicação. Mas os resultados precisam ser melhor mapeados para que o leitor tenha uma compreensão exata da verdade.

No dia 28 de outubro, a principal preocupação da mídia era conjugar a análise dos resultados do primeiro e do segundo turno projetando o que poderia acontecer em 2014 e que tem como pano de fundo especulações em relação especialmente à reeleição da presidenta Dilma e a unidade ou não dos partidos que apóiam o governo. Especulando especialmente em cima de resultado dos principais partidos e atores que por ventura, segundo a mídia, saíram fortalecidos ou não, do resultado das eleições de 2012.

Como já é sabido, o Partido dos Trabalhadores – PT angariou no primeiro turno um total de 17 .264.643 de votos, em segundo lugar vem o PMDB com 16.675.787 votos, em terceiro lugar vem o PSDB com 13.927.212 de votos, em quarto lugar vem o PSB com 8.664.886 de votos e os demais partidos tiveram juntos um total de 46.405.654 votos. Se prevalecer exclusivamente como ponto de partida o quantitativo dos votos dos  partidos que compõe a base de apoio e se tiver unidade desses mesmos partidos no que tange o apoio a reeleição da presidente Dilma, estaríamos vitoriosos com dois anos de antecedência.

Na minha opinião, são muitos os ingredientes políticos que juntos poderão ou não formar uma unidade que garanta, daqui a dois anos, a repetição do que aconteceu em 2012. São vários os fatores. Um deles, ou talvez o principal: os partidos e os prefeitos eleitos conseguirem fazer uma administração que não decepcione os eleitores que confiaram neles nesta eleição que termina.  Detalharei isso em outro artigo que divulgarei daqui a poucos dias.

O PT conseguiu eleger prefeitos em 21 cidades com mais de 150 mil habitantes, sendo que destes, 16 nas cidades acima de 200 mil eleitores e 4 são capitais, de um total de 83 municípios que o PT disputou nesta faixa de eleitorado. Nas demais cidades, o PT elegeu 614 prefeitos e em aliança com outros partidos, participando com candidatos a vice-prefeitos  elegeu um total de 1124 municípios.

Assim sendo, vamos governar um contingente de 27,6 milhões de eleitores. Mas a grande polêmica que se trava na mídia é não esclarecer didaticamente estes dados e discutir exclusivamente na política o que interessa a ela (a MÍDIA). Pego como exemplo o alarde que se faz em torno dos personagens Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB). Abaixo mostrarei uma tabela com bastante clareza sobre a distribuição geográfica do resultado eleitoral, sobre esses partidos e sobretudo com relação a esses dois personagens. Faço isso para esclarecer ao leitor as razões do porque a imprensa tanto insiste em pô-los em evidencia.

Conhecendo razoavelmente bem o perfil dos partidos políticos no Brasil, nem sempre o resultado do partido representa e condiz com o perfil dos personagens citados. Especialmente destes dois.

Em se tratando do PSB, na minha opinião, a grande vitória do personagem Eduardo Campos se deu em boa parte no estado do qual ele é governador porque além de eleger o prefeito de Recife teve de fato um predomínio extraordinário de prefeitos eleitos no seu estado. A vitória do PSB em Fortaleza é uma vitória exclusivamente da família Ferreira Gomes tanto na capital, quanto no interior, nas pessoas de Cid Gomes, Governador do Ceará e Ciro Gomes que também foi Governador do estado e prefeito de Fortaleza. A vitória de Marcio Lacerda em Belo Horizonte é uma vitória exclusiva de Aécio Neves e de Ciro Gomes. Os demais prefeitos eleitos em Rondônia e Cuiabá tem dinâmica própria. Então, o resultado numérico não bate com o resultado político. O PSDB que sempre foi alardeado pela mídia com seu predomínio na região Sudeste e Sul, com todo respeito, foi confinado para região Norte, com todo respeito que tenho a esta região. Em Aracajú, o DEM ganhou com um dos principais representantes do coronelismo do Nordeste chamado João Alves, que sempre se comportou com absoluta independência política pessoal. Em Salvador, a vitória do ACM Neto teve, sem dúvida nenhuma, uma grande importância política, entretanto foi um fracasso o resultado do DEM no interior do estado, aonde o Carlismo dominou por quase meio século.

O mais engraçado é que o senador Aécio Neves deixou claro para o mundo político que nessas eleições de 2012 ele usou muito mais adesivos com o número 40 do PSB do que 45 do PSDB. Na minha opinião, ele deveria ter falado isso entre quatro paredes e não em público. Sobre essa façanha do Aécio, na minha opinião a explicação pública cabe ao presidente nacional do PSB Eduardo Campos. Depois me aprofundarei sobre esse assunto: mais 40 do que 45, isto é, qual o significado dessa paródia do Aécio Neves. Aguardem o próximo artigo.

Evidencio que faço questão de apresentar e avaliar esses dados nesse primeiro momento porque, daqui a alguns dias, pretendo esmiuçar detalhadamente o quadro da composição de forças políticas que passam a compor o cenário nacional a partir dessas eleições. Só para conhecimento, abaixo há duas pequenas tabelas: a primeira relacionada ao número de prefeitos que os partidos tiveram por estado, a outra com relação ao número de eleitores que os partidos governarão a partir de 2013:

TABELA 1
NÚMEROS DE PREFEITOS POR PARTIDO
UF
PT
PSDB
PMDB
PSB
PP
DEM
AC
5
6
4
1
1
2
AL
2
19
25
5
15
2
AM
4
1
17
1
1
1
AP
3

2
3
1

BA
93
9
44
28
52
9
CE
29
9
21
40
5
2
ES
6
6
14
22
4
3
GO
17
52
57
10
17
17
MA
10
8
47
15
6
11
MG
114
143
118
31
70
63
MS
12
12
23
4
1
6
MT
10
4
29
11
5
11
PA
23
33
27
5
5
5
PB
6
30
58
35
4
23
PE
13
20
7
59
5
1
PI
21
17
25
53
9
3
PR
41
75
56
14
28
23
RJ
11
2
24
8
8
2
RN
6
3
51
19
8
24
RO
6
5
15
2
8

RR
2
4
2

2

RS
72
20
132
18
136
9
SC
45
26
106
2
46
5
SE
7
4
7
10

6
SP
68
174
89
30
27
45
TO
9
20
24
16
5
5
BRASIL
635
702
1024
442
469
278


TABELA 2
NUMERO DE ELEITORES QUE OS PARTIDOS GOVERNARÃO EM CADA ESTADO
UF
PT
PSDB
PMDB
PSB
PP
DEM
AC
          282.114
            58.520
            82.038
            13.255
            9.537
          15.576
AL
            15.419
          732.770
          324.484
            97.945
        131.122
          31.174
AM
            56.935
        1.176.592
          256.246
            18.237
            7.088
            9.549
AP
            18.498

            20.108
            25.003
          27.395

BA
        1.936.008
          133.134
          752.396
          405.754
      1.226.017
      2.345.837
CE
          863.452
          141.378
          634.036
        2.572.058
        114.190
          95.879
ES
          267.858
            83.091
          167.406
          739.100
          69.777
        333.658
GO
        1.251.779
          477.302
          863.059
            83.744
        184.023
        129.032
MA
          133.799
          237.068
          870.076
          512.456
          92.387
        188.486
MG
        2.532.032
        2.300.919
        1.952.762
        2.405.388
        860.684
        631.580
MS
          179.328
          155.819
          326.184
          186.823
        561.544
          48.821
MT
            94.200
            22.481
          627.669
          459.675
          34.753
        120.871
PA
          568.577
        2.187.137
          700.526
            62.202
        119.800
          91.159
PB
          531.164
          508.932
          549.384
          385.460
          23.407
        155.800
PE
          331.523
          960.239
          279.415
        2.772.295
          84.670
          18.752
PI
          244.349
          685.918
          184.878
          407.815
          73.653
          53.126
PR
          742.799
          672.374
          882.772
          349.211
        452.234
        412.345
RJ
          778.886
            93.111
        6.508.891
        1.005.942
        295.178
          44.023
RN
            51.936
            16.770
          475.806
          135.908
          86.156
        362.733
RO
          166.380
            37.069
          154.086
          358.425
        147.295

RR
            13.599
            23.348
          194.232

          20.008

RS
        1.647.828
          818.288
        1.511.889
          240.392
      1.416.877
          39.107
SC
          633.910
          516.497
        1.696.619
            24.661
        645.845
          39.232
SE
          104.507
          118.923
            75.218
          129.488

        430.940
SP
      14.124.859
        5.951.403
        2.551.677
        1.872.565
        477.157
        738.117
TO
            37.473
          114.699
          110.846
          125.818
        172.711
          33.014
BRASIL
      27.609.212
      18.223.782
      22.752.703
      15.389.620
      7.333.508
      6.368.811

No Próximo artigo vou expor a quantidade de almas humanas que vivem em cada um desses municípios que serão governados por todos esses partidos a partir de 1° de janeiro de 2013.

Nenhum comentário:

Postar um comentário