Botao share

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

PLÍNIO DE ARRUDA SAMPAIO APOIAR O CANDIDATO TUCANO JOSÉ SERRA EM SÃO PAULO É DOSE PRA LEÃO.

Faz uma semana que, respeitosamente, travei um diálogo político com o professor Plínio de Arruda Sampaio do PSOL. Tratava-se da quantidade de bobagens que ele vem emitindo através de opiniões políticas nas redes sociais, sobretudo durante o segundo turno das eleições municipais em relação aos candidatos do PT, especialmente a Fernando Haddad em São Paulo e fazendo os mais grosseiros comentários sobre o ex-presidente Lula.

Talvez, a grande maioria dos filiados do PT não saiba, mas eu e o Plínio de Arruda militamos e trabalhamos juntos na formação da estrutura e da política do PT nos anos 1980 e 1990. Não vou aqui remoer o passado, entretanto não posso deixar de lembrar que sua passagem pela direção do PT o levou até a indicação de candidato a governador do Estado de São Paulo nas eleições de 1990. Período difícil para um partido de esquerda que estava na sua fase de formação, mas, já naquela época, a militância do PT de São Paulo com poucos recursos de estrutura e de quadros, se mobilizou diuturnamente e numa disputa extremamente acirrada o candidato Plínio de Arruda Sampaio, que disputava as eleições com Paulo Maluf, Antonio Fleury Filho e Mario Covas, recebeu 1.636.058 votos dos paulistas.

Dados comparativos: 16 anos depois da eleição para governador de São Paulo pelo PT, concorrendo ao mesmo cargo de governador de São Paulo pelo PSOL em 2006, Plínio obteve 532.470 votos; e 20 anos depois, entre 1990 e 2010, na disputa para presidência da República pelo PSOL, o candidato obteve do povo brasileiro 886.816 votos. Preste atenção, isto é um pouco mais da metade dos votos que ele teve nas eleições de 1990 para o governo do estado de São Paulo pelo PT.

Talvez alguns leitores achem que eu estou perdendo tempo e outros que eu estou ficando louco, mas a história também se faz relembrando a memória. Ao longo desse período, como é comum em se tratando de uma figura legendária como Plínio, em vários momentos seu nome é citado em conversas políticas, inclusive entre eu e o próprio Lula. Nunca ouvi do ex-presidente Lula uma só palavra de grosseria ao atual comunista-esquerdista Plínio de Arruda Sampaio. Deduzo, respeitosamente, que esta rixa dele em relação aos petistas e ao Lula, de duas uma: ou é mágoa sem procedência ou uma ponta de inveja, que não mata, mas maltrata, algo comum no ser humano. Lamentável que esta dor de cotovelo chegue aos limites do absurdo.

É UMA PENA CUSPIR NO PRATO QUE COMEU!

Só para lembrar, estamos por unanimidade tomando a decisão de apoiar o candidato do PSOL à prefeitura de Belém, Edmilson Rodrigues, na disputa do segundo turno por uma questão de coerência política. Diga-se de passagem, Edmilson também foi do PT.

O curso da história dirá quem vai estar com a razão.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário