Botao share

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

O que eu penso sobre o processo eleitoral na cidade de São Paulo


Nas eleições para a Prefeitura de São Paulo, desde o início o PT tem mostrado grande compromisso com a unidade partidária. O nome de Fernando Haddad foi consenso na CNB, mesmo o ex-ministro não tendo militância orgânica na corrente, e alcançou grande aceitação em todas as tendências internas. Posteriormente, num gesto de grandeza política, os demais quatro pré-candidatos se retiraram da disputa e declararam apoio a Haddad.

Mas estes foram apenas os primeiros passos de uma longa caminhada, que não será fácil nem tranqüila. A CNB tem a obrigação e o dever de garantir a unidade partidária obtida até aqui e ir além, agregando novas forças ao leque de apoiadores da candidatura petista.

Na busca por alianças, é preciso fazer uma distinção entre construção partidária e disputa eleitoral, Em relação ao partido, vale sempre o aprofundamento das questões ideológicas e programáticas. Nas eleições, o fundamental é agregar forças em torno de um programa de governo que esteja de acordo com nossas lutas históricas em favor de mais democracia, mais inclusão e mais justiça social.

Não podemos esquecer que o PT chegou aonde chegou, alcançando a Presidência da República e iniciando um projeto de profundas mudanças no país - aprovadas pela grande maioria da população brasileira - porque soube de maneira aberta, democrática e transparente, construir alianças programáticas, partidárias e sociais.

Portanto, discutir com o PSD a indicação de um vice, na chapa encabeçada pelo PT em São Paulo, é perfeitamente factível, desde que o PSD assuma compromissos concretos com nosso programa de governo.

Não sei se haverá ou não essa aliança, mas não vejo motivo para descartá-la a priori. Pelo contrário, entendo que ela poderá ser decisiva para que o PT rompa com a hegemonia tucana na cidade e, depois, no Estado.

Na política há sempre exceções, para o bem ou para o mal. Eu confio que a direção municipal do PT de São Paulo, junto ao candidato Haddad, reunirá as condições para que o PT e as forças aliadas façam uma campanha vitoriosa.

A questão do candidato a vice é difícil, claro, mas relativa. De minha parte, consigo pensar em pelo menos um bom nome do PSD que pode ajudar muito nesta aliança.

Francisco Rocha da Silva (Rochinha)

Nenhum comentário:

Postar um comentário